Qual a próxima jogada?

Ás vezes chegamos a um ponto na vida em que temos de tomar uma atitude e demonstrar às outras pessoas que somos capazes de fazer alguma coisa. Temos de enfrentar responsabilidades e fazer escolhas importantes. A vida é feita dessas escolhas, mas nem todos sucedemos devido a dois motivos distintos. Por vezes tomamos atitudes demasiado drásticas ou precipitadas sem pensarmos bem primeiro, ou então nem sequer chegamos a tomar uma atitude. Tudo isto, sem esquecer que somos sempre julgados por qualquer um destes dois motivos. No fundo, uma decisão bem tomada não tem necessariamente de ser medida em prós e contras, pois assim nunca teremos 100% de certezas em alguma coisa. Temos então de basear as nossas tomadas de decisão noutros aspetos. A certa altura referi que a vida não é muito diferente de um jogo de xadrez e cada vez que penso nisso não podia estar mais certo. Existem muitas variáveis a acontecer ao mesmo tempo e muitas vezes a jogada que parecia perfeita tornou-se um verdadeiro quebra-cabeças sem saída ou às vezes somos demasiado ofensivos sem nos preocuparmos com a defesa e isso nem sempre dá bom resultado, pois tentar tomar uma posição pode ser forçado. Por isso é sempre necessário algum talento natural para atingir a maestria. Infelizmente nem todas as pessoas vêm esse talento e acabam por perder o jogo de forma surpreendente, enquanto outras continuam a jogar um jogo que já está perdido há muito tempo. Por outro lado, se não jogarmos depressa de mais o tempo acaba-se e perdemos também o jogo, mas também temos de ver que quem joga mais depressa comete por norma mais erros. Resumindo, não existe uma receita universal para ganhar jogos, assim como não existe a melhor escolha do mundo. Não se foquem demais num problema, porque na realidade jogamos imensos jogos em simultâneo e no final das contas não podemos ganhá-los todos, mas a cada jogo que jogamos ficamos sempre melhores!

Até breve!