As dicotomias sem sentido

Muitas vezes há coisas que ficam por dizer… Por muitas razões que quase sempre não conseguimos entender perdemos grandes oportunidades. Chegamos a momentos decisivos das nossas vidas e não conseguimos dizer as palavras que nos passam há já tanto tempo pela cabeça: “amo-te…; desisto…; fico…; e tantas outras…”. Durante muito tempo não somos capazes de dizer tais coisas. O problema não é necessariamente dizê-las, mas sim os vários desfechos possíveis que podem daí advir. Como bem sabemos, temos medo daquilo que não conhecemos e, quando dizemos algumas destas palavras, as consequências são sempre imprevisíveis. Surge muitas vezes a apatia por não sermos capazes de decidir qual o próximo passo a dar. Ficamos presos no mundo. Estagnados. Começamos a seguir os outros porque já não temos forças para decidir seja o que for. Esquecemo-nos que podemos alterar tudo isso. Basta-nos acabar com as dicotomias, fazendo as nossas próprias escolhas.

Então, porque é que tudo isso é tão difícil? Talvez por medo das consequências negativas. O que seria de nós num mundo sem consequências? Às vezes pensamos que todas as consequências são negativas e esquecemo-nos que também há um lado bom e positivo nas coisas. Em qualquer um dos casos, é a falta de ação que nos prejudica!

Períodos de reflexão pessoal

Antes de mais, tenho um grande pedido de desculpas a fazer-vos pela demora em publicar. Já devem ter reparado que as publicações recentemente se têm tornado muito menos regulares. Talvez seja porque tenho tido imenso em que pensar, o que é estranho, porque é normalmente nessas situações que tenho mais inspiração para escrever algo… Ou talvez seja porque ando a hesitar em escrever sobre as coisas que devia… Tantas questões e nem eu consigo ter uma resposta para todas elas. É como se tivesse sido assolado por uma espécie de bloqueio mental, que estive com alguma dificuldade em desfazer. A verdade é que têm acontecido muitas coisas na minha vida recentemente e a escrita tem passado um pouco para segundo plano.

Considerem isto como uma espécie de férias… Mas não se preocupem, porque a inspiração já regressou! Tenho muitas ideias novas para partilhar com vocês! Com o fim do ano a aproximar-se, posso já adiantar um pouco os planos futuros para este espaço:

  • A categoria “Cartas extraviadas” estará de volta! Tal como vos tinha dito antes, ainda há coisas por dizer a algumas pessoas e é importante que essas mensagens possam chegar até elas, ainda que se percam no caminho e possam encontrar outros potenciais destinos. Faz todo o sentido continuar esta categoria, uma vez que as pessoas à nossa volta têm uma enorme influência sobre nós. Elas adicionam sempre algo de novo às nossas vidas que merece ser partilhado e este é o espaço ideal para o fazer.
  • Reservarei um espaço no blog para a realização de uma publicação mensal de caráter reflexivo, para dar-vos a conhecer um pouco melhor a realidade da escrita a que vos tenho habituado.
  • Por fim, haverá também uma maior interação com os leitores através das redes sociais, de forma a haver uma maior promoção deste espaço. Já sabem que estou sempre aberto a sugestões!

Quanto a este mês, aproveitarei para vos dar a conhecer mais algumas “Histórias” que tenho escrito, para vos compensar em relação a esta ausência.

Desde já, obrigado pelo vosso apoio e compreensão.