Um até já…

Olá a todos pessoal!

Hoje é um dia particularmente triste para mim… Há já muito tempo que tenho vindo a ponderar uma decisão importante e, finalmente cheguei a uma conclusão.

Quem está por aqui desde o início sabe muito bem como nasceu o “Dentro e fora de aspas”. Nasceu da necessidade do expressar aos outros a minha forma de pensar sobre as coisas (quem me conhece verdadeiramente sabe e entende ainda melhor esta minha necessidade). O que nem todos vocês sabem, é que este blog nasceu num dos períodos mais difíceis da minha vida e serviu muitas vezes como um escape da realidade. Ajudou-me a transmitir muitas coisas que não conseguiria de outra forma. Tal como já referi anteriormente, é nos períodos difíceis e conturbados que temos mais coisas para pensar, refletir, escrever ou falar. Durante muito tempo leram muitos dos meus devaneios, indecisões, incertezas e medos. Hoje sei que tenho o apoio das pessoas que me são verdadeiramente importantes.

A cada dia que passa me sinto menos filosófico e, por isso, menos produtivo neste formato literário. Como também já sabem, finalmente ganhei um pouco de estabilidade na minha vida e, por incrível que pareça, a afastar-me cada vez mais do conceito deste blog.

É por todas estas razões que hoje decidi que o “Dentro e fora de aspas” necessita de uma pausa. Vou ser bastante sincero com vocês… Sinceramente não sei se pretendo voltar, pois este espaço já não representa o mesmo para mim que representava há dois anos atrás quando nasceu. No entanto, ele continuará sempre aqui para eventuais necessidades que possam advir. Quanto a quando elas surgirão, a isso já não vos posso responder.

De qualquer forma, não pretendo deixar de escrever. Já sabem que a escrita faz parte quem sou. Talvez crie um novo projeto, ou talvez dê a conhecer os meus textos de outra forma. Só o futuro o dirá…

Resta-me então despedir e dar este capítulo por encerrado. Peço desde já desculpa por esta despedida tão repentina e sem avisar, mas muitos de vocês provavelmente já estariam a estranhar esta minha ausência e agora sabem o porquê.

Quero deixar um muito obrigado a todos os meus leitores, e a todas as pessoas que fizeram parte desta jornada e perderam um pouco do seu tempo para ler os pensamentos de alguém que há uns tempos atrás não tinha uma voz e se encontrava um pouco perdido pela vida.

A todos vocês, um até já…